quinta-feira, 28 de julho de 2016

Declaração do Papa Calisto III na sua consagração como Sumo Pontífice (1455)

Eu, Papa Calisto III, prometo e juro à Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, a sempre Virgem Mãe de Deus, aos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, e todo o exército celestial, que farei tudo em meu poder, mesmo se for necessário, com o sacrifício da minha vida, auxiliado pelo conselho dos meus irmãos dignos, para reconquistar Constantinopla, que, em punição para o pecado do homem, foi tomada e arruinada por Maomé II (o sultão turcomano), o filho do diabo e inimigo do Nosso Crucificado Redentor. Além disso, eu me comprometo a libertar os cristãos definhando na escravidão, a exaltar a verdadeira fé, e a extirpar a seita diabólica deste réprobo sem fé, o Maomé do Oriente. Pois no Oriente, a luz da fé está quase completamente extinta. Eu não irei esquecer-me de ti, ó Jerusalém, que a minha mão direita seja esquecida. Que a minha língua fique presa dentro das minhas mandíbulas se eu não me lembrar de ti. Se eu não fizer de Jerusalém o começo da minha alegria, Deus e Seu santo Evangelho me ajudem. Amém.

Papa Calisto III (1378-1458, Papa entre 1455 e 1458), o espanhol Alfonso Borja que compreendia perfeitamente a crueldade da expansão islâmica e a necessidade de combatê-la (The Glory of Christendom, 1100-1517, A History of Christendom, Volume 3, de Warren H. Carroll, Christendom Press, 2004).

6 comentários:

Anónimo disse...

Quanta diferença entre o Papa Calisto III e o Papa Francisco! Os 'nacionalistas' anticristãos (pagãos, por ex.) até se espumam com estas coisas. Para eles, ou para ele (o tal), o Papa Calisto III era do tempo da Igreja "totalitária que não admite a concorrência", e o Papa Francisco é do tempo da Igreja que "dá a outra face ao amado outro, o sagrado alógeno". Portanto, existem dois tempos com duas Igrejas diferentes! Eureka!

FireHead disse...

Sim, é capaz de ser isso. Antigamente o Cristianismo que varreu com o paganismo e instaurou a verdadeira e superior civilização humana era totalitário e não dava a outra face; agora já dá a outra face e porque o São Justino o Mártir disse qualquer coisa do tipo todos são irmãos, não há diferenças entre uns e outros, etc. etc. (se fosse o Sócrates, o filósofo grego e não o José, a dizer que não é ateniense nem grego mas sim um cidadão do mundo é que é fixe, brilhante, brutal, talvez até étnico e nacionalista...). A fazer fé em certos intelectuais da praça, digo cromos anticristãos da blogosfera nacionalista, até parece que os "cristãos de verdade" só surgiram muitos séculos depois das Cruzadas, tipo para aí no século XX.

Ah, e se lhes falares do Concílio Vaticano II eles inventarão 1001 argumentos para te dizerem que não, que o Concílio Vaticano II não tem nada a ver com coisa alguma, pois o Cristianismo sempre foi assim, anti-identitário, anti-nacionalista (a Polónia que o diga) e pró-multiculturalista e voltamos ao mesmo: então e as Cruzadas? E o D. Afonso Henriques? E a Santa Aliança? E Carlos Martel? E o Rei Jan Sobieski? Pois, pois, eles já eram uns alienados com essa coisa da "religião semita" importada do Médio Oriente, já eram uns traidores da ancestralidade europeia, já eram uns bandalhos e a Europa começou a morrer desde então - nem mesmo as feras lá na arena do Coliseu de Roma conseguiram eliminar essa erva daninha e danada que são os cristãos mesmo perante o júbilo doentio dos pagãos que assistiam à chacina, nem mesmo o Nero com o incêndio que ele próprio lançou na Cidade Eterna culpando os cristãos pelo seu crime...

O que vale é que o paganismo está a ressurgir em força, há cada vez mais pagãos por aí (super multiculturalistas, pró-aborto, pró-eutanásia, pró-paneleiragem, etc. etc., mas who cares?) - isso sim, é o que vai fazer com que a Europa volte a ser verdadeiramente a Europa, pá!!!! O difícil, num futuro na Europa pagã, é capaz de ser arranjar mulheres virgens para serem sacrificadas aos ídolos!!

Lura do Grilo disse...

Mas não conseguiu nada

Adilson disse...

Belíssima e enriquecedora postagem! Deus nos socorra nessa hora tão tenebrosa! Que o Senhor ampare seus filhos na Europa! Como já diziam os antigos, inclusive nos textos sagrados: a apostasia realmente cresceria. Creio que não há apostasia maior que ver os atuais líderes da Igreja diante do genocídio de cristãos e simples torcer o rosto, seja por burrice seja por uma ideologia criminosa (socialismo) que praticamente já infestou o seio da Igreja. Meu caro, terei de reproduzir esta postagem lá no Agathon!

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Muitos ficam apenas pelas intenções...

FireHead disse...

Adilson,

Estás à vontade, meu amigo. :)

E sim, o Anticristianismo é apenas a prova mais que provada sobre a veracidade do Cristianismo. Se hoje em dia existem tantos detractores da fé cristã é porque realmente a fé cristã incomoda e se incomoda é porque não é indiferente.

O Cristianismo é como o Seu divino fundador. Do mesmo modo que Ele ou é aceite ou é caluniado, também a Sua Igreja o é.